Finanças

Saldo devedor: o que é e como calcular? saiba agora!

Você já ouviu falar em “saldo devedor” e está meio perdido sobre o que isso significa?Diferentemente do saldo credor, que é quando você tem dinheiro a receber, o saldo devedor é o valor que você ainda precisa pagar.

Neste texto, vamos explicar o que é o saldo devedor, como calcular e entender melhor todo o processo de pagamento. Espero que goste da leitura!

O que é saldo devedor?

O saldo devedor é a quantia que ainda falta ser paga em um financiamento que pode ser um empréstimo, financiamento estudantil, cheque especial, dívida do cartão de crédito, fora outros.

Com o passar do tempo, os juros fazem o saldo a ser pago aumentar, enquanto as amortizações feitas pelo usuário ajudam a reduzir esse valor devido.

Como saber o saldo devedor?

Ao fazer um financiamento estudantil, quem solicita o crédito precisa devolvê-lo à instituição financeira em com amortização em várias parcelas.

Além do valor principal, também é preciso pagar juros conforme o que foi acordado na hora de efetuar o contrato. Contudo, com o passar do tempo, é possível conferir quanto o indivíduo já pagou e quanto ainda falta quitar.

Como é calculado o saldo devedor?

O financiamento estudantil desempenha um papel crucial para muitos brasileiros que buscam ingressar no Ensino Superior.

No entanto, muitas vezes, os usuários focam apenas nas prestações mensais, negligenciando uma informação essencial: o saldo devedor.

Contrariando a ideia de que o saldo devedor é simplesmente a soma das parcelas a serem pagas, ele incorpora diversas taxas e alíquotas que integram a composição da prestação.

Portanto, é de suma importância manter um acompanhamento atento do andamento do pagamento da dívida.

Ao calcular o saldo devedor em um financiamento estudantil, é crucial compreender o sistema de amortização, pois o cálculo difere. Geralmente, a fórmula se representa da seguinte maneira:

PM = A + J

Onde:

  • PM: Parcela mensal;
  • A: Amortização;
  • J: Juros.

Ao obter o resultado, se torna possível planejar estrategicamente as finanças, seja para negociar o pagamento total ou para amortizar o valor da dívida de forma mais eficiente.

Como funciona amortização no financiamento estudantil?

A parcela do financiamento estudantil corresponde ao valor mensal que você acordou ao solicitar o empréstimo. Contudo, é importante destacar que essa parcela inclui um adicional de juros, calculado com base no saldo devedor do empréstimo.

Quando você realiza a amortização do saldo devedor do financiamento estudantil, está, na verdade, reduzindo o valor total financiado, resultando em uma diminuição dos juros pagos ao longo do tempo. Isso ocorre porque se calcula os juros com base no saldo devedor existente.

Portanto, ao efetuar a amortização, você não apenas contribui para a redução da dívida, mas também impacta positivamente no valor total dos juros que precisará pagar ao longo da vigência do financiamento.

Sendo assim, essa prática se mostra vantajosa, proporcionando um alívio financeiro significativo ao longo do período de pagamento do empréstimo.

O que é o sistema de amortização?

Em todo processo de financiamento, existem diferentes abordagens para quitar a dívida, conhecidas como sistemas de amortização.

O exemplo que mostramos acima é o Sistema de Amortização Constante, amplamente utilizado nos dias de hoje. Nesse sistema, o valor das prestações diminui ao longo do tempo.

Nos primeiros períodos, a parcela destinada aos juros é mais altas, resultando em uma amortização do saldo devedor mais substancial. Esse padrão acelera a redução do valor restante a ser pago.

Por outro lado, na Tabela Price, a característica marcante é a manutenção constante do valor da prestação. No entanto, a amortização do valor principal da dívida aumenta mensalmente.

Diferenças entre Saldo credo x Saldo devedor

O saldo credor é o dinheiro positivo disponível na sua conta bancária. Em contrapartida, o saldo devedor é o valor que ainda precisa se pagar.

Um exemplo comum desse saldo ocorre quando você não paga a fatura completa do cartão de crédito, deixando um montante para o próximo mês. Isso resulta em juros e multa por atraso, como acontece no conhecido crédito rotativo do cartão.

Consequentemente, o saldo devedor aumenta, e na próxima fatura, você terá uma quantia ainda maior para quitar.

VEJA MAIS RELACIONADO:

Flávio Coelho

Meu nome é Flávio Coelho e ensino através do site Finanças Guiada tudo relacionado a negócios, cartão de crédito e finanças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *