EmpréstimoFinanças Pessoais

Cheque Especial: O que é como funciona essa linha de crédito

Apesar de ser uma das principais razões para o endividamento, o cheque especial continua sendo uma das formas de crédito mais procuradas pelos brasileiros.

No ano de 2022, as taxas médias dessa linha de crédito aumentaram em relação ao início do ano, conforme um balanço realizado pelo Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor).

A comodidade do crédito pré-aprovado, característica desse tipo de crédito, leva algumas pessoas a ignorarem as altas taxas de juros associadas a ele.

No entanto, compreendemos que imprevistos ocorrem, o que pode exigir o uso de crédito emergencial, especialmente durante os meses mais apertados financeiramente.

Portanto, se for necessário recorrer ao cheque especial, é importante entender como ele funciona e quais são suas condições. Por isso, recomendamos que você leia este conteúdo e esclareça todas as suas dúvidas!

O que é cheque especial?

O cheque especial é uma forma de empréstimo oferecida aos clientes sem a necessidade de comprovação de renda, sendo conhecido por sua praticidade em relação a outras opções.

Resumidamente, o cheque especial é um empréstimo pré-aprovado que fica disponível para uso desde o momento em que a conta é aberta no banco.

No entanto, é preciso ter muito cuidado ao utilizar essa facilidade, para evitar afundar-se em dívidas posteriormente.

Sendo assim, é importante ressaltar que assim como a taxa de juros do cartão de crédito a do cheque especial é também uma das taxas mais elevadas que tem.

Como funciona o cheque especial?

Conforme mencionado anteriormente, o cheque especial é um crédito pré-aprovado que funciona como um empréstimo, porém de maneira extremamente prática e quase automática.

Dependendo do banco ele pode receber outros nomes, como LIS ou Limite pré-aprovado. Sendo assim, é importante prestar atenção nesse detalhe,

O valor é exibido no extrato bancário como parte do saldo da conta corrente e pode ser utilizado da mesma forma.

Por exemplo, suponha que você tenha um saldo de R$300 na conta, mas o extrato mostra R$600 disponíveis como limite de crédito.

Você pode usar integralmente os R$600 ou apenas uma parte deles. No entanto, basta realizar uma transação que ultrapasse o seu saldo atual para fazer uso do cheque especial.

Caso você realize uma compra de R$500,00, dispondo apenas de R$300 na conta, você estará utilizando apenas R$200,00 do limite do cheque especial. Os R$100,00 restantes continuarão disponíveis para uso.

Entretanto, o grande perigo desse tipo de transação é que geralmente não é parcelado ou negociado. Portanto, o pagamento desse crédito será realizado com os valores que entrarem na sua conta.

Quando usar o cheque especial?

Ao se deparar com situações emergenciais, o saldo disponível na conta pode parecer tentador. No entanto, é crucial agir com cautela ao recorrer ao crédito especial.

Grande parte dos brasileiros já recorreu ao cheque especial em pelo menos uma ocasião ao longo da vida, e, infelizmente, essa prática é a principal causa de inadimplência entre grande parte da população.

De acordo com dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), o cheque especial é responsável por 52% dos mais de 52 milhões de brasileiros presentes na lista de inadimplentes.

A recomendação, portanto, é evitar recorrer a esse tipo de empréstimo devido aos altos juros associados a ele. No entanto, nem sempre é possível evitar essa situação.

Caso precise utilizar o cheque especial como uma solução emergencial para questões financeiras, é importante garantir que o valor do pagamento seja depositado o mais rápido possível na conta, a fim de evitar os elevados juros cobrados.

No entanto, é importante ressaltar que o cartão de crédito se destaca como uma alternativa mais favorável em relação à praticidade e aos benefícios extras.

Como calcular o juros do cheque especial

Ao desfrutar de toda a conveniência do cheque especial, é importante estar ciente dos juros elevados que podem comprometer o seu orçamento pessoal.

Portanto, ter conhecimento preciso do valor a ser pago pelo crédito é fundamental para seu equilíbrio financeiro.

Os juros desse tipo de crédito podem atingir até 300% a.a, e, ao contrário de outras modalidades de empréstimo, esse valor é adicionado diariamente ao seu débito.

Alguns bancos concedem alguns dias para o pagamento do valor devido, sem a cobrança de juros. No entanto, após esse período, os juros que se acumulou serão cobrados.

Calculadora de Juros Compostos

Para calcular os juros compostos entre direto na página da Mobilis e faça a simulação de maneira simples e rápida. Portanto, clique no link que está disponível e simule quando quiser.

Novas regras do cheque especial

O Conselho Monetário Nacional (CMN) implementou algumas alterações no cheque especial com o objetivo de reduzir sua taxa de juros.

Dessa forma, é essencial estar ciente das novas regras do cheque especial:

Mudanças nas tarifas

Os clientes que possuem um limite de cheque especial de até R$500 não terão tarifas cobradas. No entanto, caso o valor exceda esse limite, será aplicada uma taxa adicional de até 0,25% sobre o valor ultrapassado.

Limite máximo de juros

Foi estabelecido que a taxa de juros não poderá ultrapassar 8% ao mês. Embora seja um valor consideravelmente alto, é inferior aos índices anteriores, que chegavam a 12%.

Transição para o novo modelo

Foi estabelecido que as instituições devem se adaptar às mudanças, porém cada uma está implementando-as em seu próprio ritmo, algumas de maneira mais acelerada e outras gradualmente.

Como não entrar no cheque especial

O cheque especial é uma ferramenta útil em momentos de emergência financeira, porém seu uso excessivo pode acarretar em dívidas acumuladas e riscos de inadimplência. Para evitar cair nessa armadilha, é importante adotar práticas financeiras saudáveis. Confira cinco dicas valiosas:

  1. Planeje suas finanças: Elaborar um planejamento financeiro é essencial para evitar o endividamento e o uso abusivo dessa linha de crédito. Analise suas receitas e despesas mensais de forma clara, identificando oportunidades de cortes e melhorar sua economia.
  2. Construa uma reserva financeira: Ter uma reserva para emergências é uma forma eficaz de evitar recorrer ao cheque especial em situações imprevistas. Procure guardar de três a seis meses de despesas em uma conta poupança ou investimento de baixo risco.
  3. Utilize com responsabilidade: Reserve essa linha de crédito somente para situações emergenciais, jamais o encare como uma fonte de renda extra. Estabeleça um limite máximo para sua utilização e busque quitar a dívida o mais rápido possível.
  4. Reduza gastos desnecessários: Diminuir despesas supérfluas é uma maneira eficiente de evitar o recurso ao cheque especial. Analise suas despesas mensais minuciosamente e identifique possíveis cortes, como cancelar assinaturas de serviços não utilizados.
  5. Explore outras opções de crédito: Antes de optar pelo cheque especial, busque alternativas de crédito mais vantajosas, com juros mais baixos e prazos flexíveis, como empréstimos e financiamentos. Essas modalidades podem reduzir significativamente os riscos de endividamento.

Lembre-se de que o uso consciente do cheque especial é fundamental para evitar dívidas e inadimplência. Adotar hábitos financeiros saudáveis é uma maneira eficaz de manter a saúde financeira em dia.

Como sair do cheque especial

Você já reparou que tomar a decisão de usar o cheque especial impulsivamente não é uma escolha inteligente? No entanto, se você se encontrar nessa situação, temos algumas dicas que podem ajudá-lo a sair dessa situação.

Tente negociar

Negociar é a primeira opção e as instituições financeiras geralmente estão dispostas a fazer acordos, pois também têm interesse em reduzir a dívida. Ao negociar, é possível congelar os juros e parcelar o saldo em pagamentos que se encaixem no seu orçamento.

Reduza o limite

Ter um limite alto de cheque especial pode levar a decisões erradas e a um maior endividamento. Reduzir o limite garante que você terá uma quantia de emergência disponível, mas ainda será um valor que você poderá pagar posteriormente. Afinal, de nada adianta ter um limite de R$15 mil se você não conseguir quitar essa dívida.

Controle sua vida financeira

Um bom controle financeiro permite evitar surpresas nas faturas e economizar dinheiro para emergências. Utilizando uma ferramenta como o gerenciador financeiro, você pode manter sua vida financeira organizada e contar com uma solução prática e essencial para o seu dia a dia.

Dúvidas frequentes

O que acontece se eu não pagar o cheque especial?

No caso de o correntista não efetuar o pagamento dessa linha de crédito, o banco tem o direito de aplicar juros e encargos sobre o valor utilizado, além de registrar o nome do devedor nos órgãos de proteção ao crédito, como Serasa e SPC.

Em situações mais graves, o banco pode até mesmo tomar medidas legais para reaver a dívida, resultando em prejuízos financeiros adicionais, como multas e honorários advocatícios.

O que acontece se estourar o limite do cheque especial?

Ao ultrapassar o limite do cheque especial, o correntista adquire uma dívida com o banco que vai além do saldo disponível em sua conta corrente. Nesse caso, a instituição financeira tem o direito de cobrar juros e encargos sobre o valor utilizado, o que pode levar a um ciclo contínuo de endividamento.

É fundamental ter em mente que o uso abusivo do cheque especial traz consigo o risco de inadimplência e consequentes prejuízos financeiros. Portanto, é importante manter um controle adequado das finanças para evitar essas situações desfavoráveis.

VEJA MAIS RELACIONADO:

Flávio Coelho

Meu nome é Flávio Coelho e ensino através do site Finanças Guiada tudo relacionado a negócios, cartão de crédito e finanças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *