FinançasFinanças Pessoais

Reserva de emergência: o que é, onde investir e como fazer a sua!

Construir uma reserva de emergência é fundamental para manter um orçamento firme. Ou seja, mesmo que você seja cuidadoso ao planejar seus gastos, há aspectos da vida que fogem do seu controle.

Vale lembrar que imprevistos acontecem e alguns deles podem afetar seus planos e sua situação financeira. Sendo assim, ter um dinheiro guardado para esses momentos inesperados proporciona mais tranquilidade.

Portanto, é essencial economizar e investir em opções seguras, para estar preparado para necessidades ou imprevistos que possam surgir. Esse fundo é comumente chamado de reserva de emergência.

Então, se deseja entender o que é, como funciona e como criar a sua, continue lendo este artigo, pois preparamos informações especiais para você.

O que é reserva de emergência?

A reserva de emergência é como uma economia especial que você mantém, caso algo inesperado aconteça.

Assim, guardamos dinheiro para não precisar recorrer a empréstimos com juros elevados em situações de urgência.

É claro que, ninguém quer enfrentar situações imprevistas, mas é algo que pode acontecer a qualquer um de nós.

Por isso, é crucial ter uma poupança para evitar dívidas que podem desequilibrar as finanças pessoais e familiares.

Além disso, contar com uma reserva de emergência evita a necessidade de pedir dinheiro emprestado a amigos ou familiares, o que pode ser em certos casos constrangedor.

Assim, esse fundo de emergência atua como uma rede de segurança, proporcionando tranquilidade diante dos imprevistos da vida.

Em outras palavras, a não utilização de uma reserva de emergência, compromete tanto o seu presente quanto o seu futuro.

Como fazer uma reserva de emergência?

Montar uma reserva de emergência é um processo que, embora simples, exige planejamento adequado. Para criar uma reserva financeira de forma eficaz, siga estas etapas:

Identifique suas despesas fixas

Comece fazendo uma lista de todas as despesas fixas mensais, como aluguel, contas de água, luz, gás, plano de saúde e outros compromissos regulares.

Isso ajudará a determinar o valor necessário para sua reserva de emergência antes de considerar qualquer tipo de investimento, como fundos imobiliários ou ações.

Estabeleça o valor da reserva

Em seguida, defina o montante necessário em sua reserva de emergência para cobrir despesas imprevistas, como despesas médicas ou uma possível perda de emprego.

Geralmente, é recomendável ter economias suficientes para cobrir de três a seis meses de despesas. No entanto, em algumas situações, como para empreendedores ou trabalhadores autônomos, pode ser aconselhável ter economias para um ano de despesas.

Escolha onde manter seu dinheiro

Opte por ativos que preservem o poder de compra de seu dinheiro, sejam facilmente acessíveis e tenham alta liquidez.

Existem várias opções para manter sua reserva de emergência, como contas de poupança, títulos do tesouro, fundos de renda fixa ou Certificados de Depósito Bancário (CDBs).

Mais em frente falaremos onde investir sua reserva de emergência para que fique a par das melhores maneiras de guardar se dinheiro.

Portanto, pesquise as alternativas disponíveis e selecione aquela que melhor atende às suas necessidades.

Dependendo da escolha, pode ser necessário abrir uma conta em um banco ou corretora, muitas das quais permitem o cadastro online e gratuito.

Planeje seus depósitos

Defina uma meta de economia mensal para atingir seu objetivo de reserva de emergência. Isso pode ser alcançado separando uma porcentagem de sua renda mensal para poupar.

Quanto mais você poupar, mais rápido sua reserva estará completa. Em alguns casos, pode ser útil explorar maneiras de gerar renda extra para acelerar esse processo.

Revise sua reserva de emergência

Finalmente, após criar sua reserva de emergência, é importante revisá-la regularmente e fazer ajustes conforme necessário.

Eventos como casamento, nascimento de filhos ou aumento de despesas fixas exigem uma reavaliação do tamanho de sua reserva de emergência para garantir que ela continue adequada às suas necessidades.

Onde investir a reserva de emergência

Quando se trata de decidir onde investir sua reserva de emergência, é crucial lembrar que o rendimento não é o fator mais importante.

A principal prioridade é garantir que o investimento possa ser facilmente resgatado quando necessário, garantindo a liquidez e segurança necessárias.

Sendo assim, vamos explorar algumas opções interessantes para alocar sua reserva de emergência:

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é uma opção sólida, representando um título público emitido pelo governo que acompanha a variação da taxa Selic.

O risco envolvido é mínimo, já que o governo tem a capacidade de honrar seus compromissos financeiros, e os recursos podem ser resgatados diariamente, caindo em sua conta no dia seguinte à solicitação (D+1).

Além disso, oferece rentabilidade diária, permitindo que você acompanhe o crescimento do seu investimento.

CDBs com liquidez diária

Alguns Certificados de Depósitos Bancários (CDBs) com liquidez diária também apresentam essas características.

Esses investimentos são seguros igual a caderneta de poupança, com alta liquidez e rendimentos maiores.

Eles são garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que protege valores de até R$ 250 mil por CPF, no caso de falência do banco emissor.

Fundos DI

Os fundos DI são opções de fundos de investimento de renda fixa com baixo risco de crédito, projetados para acompanhar o retorno do CDI.

Esses ativos são gerenciados por profissionais financeiros e oferecem diversificação. Além disso, eles possuem alta liquidez, baixas taxas de administração e risco mínimo.

Portanto, para acessar uma variedade de fundos de investimento, é necessário abrir uma conta em uma corretora confiável.

Contas remuneradas

Nos últimos anos, surgiram diversos bancos digitais e instituições de pagamento que remuneram os investidores que mantêm seu dinheiro guardado nessas empresas.

Exemplos notáveis incluem PicPay, Nubank, Sofisa Direto e muitas outras instituições que são reconhecidas por sua confiabilidade.

Além de facilitar o pagamento de contas e transferências, o dinheiro mantido nessas contas também gera rendimentos. Essas opções são uma excelente alternativa para investir e construir sua reserva de emergência.

Dicas cruciais para a construção da sua reserva de emergência

Para construir e usar sua reserva de emergência de forma eficaz, é fundamental seguir algumas diretrizes importantes. Vamos abordar essas orientações essenciais:

Utilização da reserva de emergência

Lembre-se de que a reserva de emergência é um recurso destinado exclusivamente a situações de necessidade genuína, não para despesas cotidianas ou gastos supérfluos.

Emergências podem incluir situações como desemprego, perda significativa de bens (como uma geladeira quebrada ou um carro com problemas), invalidez ou despesas médicas elevadas.

A prioridade é utilizar a reserva em circunstâncias em que seria necessário recorrer a empréstimos para cumprir compromissos financeiros.

Planejamento financeiro

A construção de sua reserva de emergência é um passo crucial na gestão financeira. Para garantir o sucesso desse processo, é essencial ter um planejamento financeiro sólido.

Certifique-se de que sua organização financeira não seja negligenciada, pois a desorganização pode atrasar a construção da reserva.

Alocar uma parte específica de seu orçamento para essa finalidade é fundamental. Por exemplo, reserve de 10% a 15% de sua renda mensal para a construção da reserva e mantenha a disciplina de não falhar nenhum mês.

Investimento durante a construção da reserva

Uma dúvida comum é se é possível ou adequado investir enquanto se está construindo a reserva de emergência ou se isso deve acontecer apenas após sua conclusão.

A resposta é que é possível e até aconselhável investir durante esse processo. Alocando uma porcentagem de sua renda para criar uma reserva que cubra seis meses de despesas, você garante a segurança de seu dinheiro e a possibilidade de obter algum retorno sobre ele.

No entanto, é fundamental investir em ativos seguros e altamente líquidos, garantindo que você possa acessar os fundos quando necessário.

Certifique-se de manter um equilíbrio entre a construção da reserva e os investimentos, escolhendo opções que ofereçam facilidade de resgate e baixo risco.

Conclusão

A reserva de emergência é um pilar essencial para uma saúde financeira sólida, como abordamos ao longo deste texto.

Sua importância reside no fato de que fornece a segurança necessária para enfrentar situações inesperadas, como desemprego, gastos médicos significativos ou despesas imprevistas.

Ter uma reserva de emergência bem planejada, com investimentos seguros e alta liquidez, é fundamental para evitar o endividamento em momentos críticos e manter o equilíbrio nas finanças pessoais.

Portanto, construir e manter essa reserva é um passo crucial para garantir a estabilidade financeira e a tranquilidade diante dos desafios que a vida pode apresentar.

VEJA MAIS RELACIONADO:

Flávio Coelho

Meu nome é Flávio Coelho e ensino através do site Finanças Guiada tudo relacionado a negócios, cartão de crédito e finanças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *