FinançasFinanças Pessoais

Educação financeira: O que é e como colocar em prática?

É fundamental entender o que é o conceito de educação financeira, uma vez que esse conhecimento pode aprimorar a forma como você gerencia seu dinheiro faz investimentos.

No cenário atual do Brasil, a educação financeira está ganhando destaque, impulsionada pela maior disponibilidade de informações e o acesso facilitado à tecnologia, que tornam mais acessível esse tipo de aprendizado.

De forma geral, as pessoas cada vez mais estão querendo adquirir conhecimentos sobre finanças e aprimorar melhor seu controle financeiro.

Se você também busca aprimorar suas habilidades nessa área, confira valiosas dicas de educação financeira e muito mais nesse artigo.

O que é educação financeira?

Educação financeira envolve todo o entendimento relacionado ao dinheiro e sua dinâmica.

Isso significa aprender sobre produtos financeiros e serviços, capacitando você a fazer escolhas mais acertadas.

Portanto, saber muito sobre assuntos como juros, poupança, Selic, inflação e outros auxilia na tomada de decisões financeiras de maneira inteligente e consciente.

Em termos práticos, quanto mais você souber sobre finanças, mais consciente e seguro estará ao gerenciar seu dinheiro.

Além disso, a educação financeira ajuda a aprimorar como reduzir despesas, aumentar receitas e investir economias regularmente, construindo riqueza ao longo do tempo.

Dessa forma, você coloca seu dinheiro para trabalhar a seu favor. Abaixo, veja como adquirir esse tipo de educação de maneira prática.

Melhores dicas para colocar a educação financeira em prática!

Para se dar bem na vida financeira, é necessário estudar e aplicar os princípios da educação financeira.

Algumas pessoas buscam riqueza rápida e evitam o caminho da educação financeira, que demanda esforço e aprendizado constante. Em vez disso, recorrem a soluções como jogos de azar, como a loteria.

No entanto, se você busca um caminho mais sólido, continue lendo para obter dicas de como aprimorar esse tipo de saúde financeira!

1. Entenda sua situação

Para encontrar um recurso de educação financeira que atenda às suas necessidades específicas, é essencial compreender sua situação financeira atual.

Isso significa analisar como você administra seu dinheiro. Você tem dívidas? Está trabalhando apenas para pagar contas ou buscando prosperidade financeira?

Refletir sobre sua vida financeira, identificar as principais preocupações relacionadas ao dinheiro e, com base nisso, procurar orientações que o direcionem na direção certa.

2. Controle seus gastos

Quando se trata de educação financeira, é importante discutir métodos eficazes para gerenciar seus gastos.

Entender para onde seu dinheiro está indo, especialmente quanto está sendo alocado em cada categoria, permite identificar quais despesas podem ser reduzidas ou eliminadas.

Os aplicativos de controle financeiro oferecem uma maneira simples e conveniente de gerenciar seu orçamento.

Eles são muito mais práticos e eficazes do que os tradicionais cadernos ou planilhas de gastos, não acha?

Além disso, a vantagem de ter um aplicativo sempre à mão facilita o registro de receitas e despesas, ajudando a evitar esquecimentos.

3. Tenha metas e objetivos

Guardar dinheiro se torna um desafio sem rumos financeiros e alvos definidos. Portanto, estabeleça metas de curto, médio e longo prazo para os seus objetivos financeiros.

Você vai perceber como se torna mais simples alocar uma parte de sua renda para alcançar sonhos bem definidos.

4. Opte pelo hábito de poupar

Aqueles que buscam melhorar suas finanças estão constantemente em busca de maneiras de reduzir seus gastos.

Isso envolve a prática de hábitos simples, como comparar preços antes de comprar, procurar descontos ou programas de dinheiro de volta, negociar preços e considerar opções mais econômicas para produtos similares.

5. Ganhe, economize e invista

Esses são três princípios essenciais para quem busca educação financeira. Ter um mês em que você termina com zero no bolso ou, pior ainda, com dívidas, não é uma situação desejável.

Portanto, é crucial que você tome medidas imediatas para seguir as outras duas fases do processo: economizar e investir.

O recomendado é alocar pelo menos 10% de sua renda para uma reserva financeira. Contudo, se você está com dívidas, o primeiro passo ainda é reduzir os gastos, mas com ênfase em quitar suas dívidas antes de começar a investir.

6. Saiba criar orçamentos

Para seguir o ciclo da educação financeira, é fundamental ter um entendimento profundo de sua situação financeira. Isso pode ser alcançado através de um orçamento que inclui:

  • Acompanhar suas despesas;
  • Identificar as áreas onde você gasta a maior parte do seu dinheiro;
  • Descobrir onde é viável economizar.

Se você já está economizando parte de sua renda mensal, considere a possibilidade de aumentar essa quantia ou até mesmo buscar uma renda extra, caso a sua situação permita.

7. Use um gerenciador financeiro

Conforme mencionado anteriormente, é viável praticar a educação financeira ao gerenciar melhor seu dinheiro usando aplicativos financeiros.

Essas ferramentas permitem acompanhar suas despesas e registrar suas transações no momento em que ocorrem, prevenindo possíveis erros por esquecimento.

Importância da educação financeira pessoal

Embora você já compreenda o que envolve a educação financeira e seu propósito, é fundamental entender claramente por que ela é tão relevante para manter uma trajetória de sucesso a longo prazo.

A educação financeira desempenha um papel essencial na construção de um patrimônio sólido. No entanto, alcançar esse objetivo requer tempo e disciplina.

Portanto, quanto mais cedo você adquire conhecimentos em educação financeira, mais rapidamente começará a colher os benefícios desse aprendizado.

Disciplina e hábitos

A disciplina é um resultado de hábitos, e não há maneira melhor de cultivar um hábito do que praticá-lo regularmente ao longo do tempo. Portanto, é aconselhável introduzir a educação financeira desde a infância.

O cenário atual revela que a maioria dos jovens não possui noções sobre o valor do dinheiro, o custo de vida em sua região ou questões similares.

Frequentemente, quando ingressam no mercado de trabalho, carecem de conhecimento sobre a média salarial de seus cargos, o que os deixa despreparados para administrar suas finanças.

Recebendo salários e ainda morando com seus pais, muitos gastam suas rendas em itens supérfluos, em vez de aproveitar essa fase da vida, que é menos onerosa, para se prepararem para o futuro, como a independência financeira.

Quando finalmente saem de casa, muitas vezes financiam suas casas por longos períodos, somando a isso os custos dos carros, bem como as novas despesas fixas e variáveis, como condomínio, água e luz.

Percebe-se que, se essas pessoas não começaram a poupar anteriormente, dificilmente o farão agora. E, quando chegam os filhos e o desejo de férias, geralmente não há planejamento financeiro.

Infelizmente, essa é a realidade da maioria dos jovens e adultos de hoje em dia.

Quebrando o paradigma do ganha-gasta

É fundamental alcançar um nível de educação financeira onde quebrar o ciclo de ganhar e gastar seja uma realidade, começando na infância.

Ao romper esse ciclo, incentivamos as crianças a desenvolverem independência financeira e responsabilidade na administração de seu dinheiro.

Um exemplo disso fica evidente ao ler o livro “Pai Rico, Pai Pobre”, que narra parte da infância de Robert Kiyosaki.

Em uma parte do livro, o autor compartilha uma lição importante: não diga aos seus filhos que não podem comprar algo, em vez disso, motive-os a encontrar soluções e conquistar o que desejam por conta própria.

As lições de educação financeira que Kiyosaki aprendeu com seu “Pai Rico” na infância desempenharam um papel fundamental em sua visão de mundo e na vida que leva hoje.

Educação financeira nas escolas

A importância da educação financeira é universal, mas, contrariando o que seria esperado, ela não é parte do currículo escolar no Brasil, seja nas escolas primárias ou nas instituições de ensino superior.

A falta de orientação sobre como gerir dinheiro leva a uma falta de discussão aprofundada sobre o tema, o que perpetua a falta de informação financeira.

Para mudar esse cenário e aproximar as crianças de questões financeiras, o governo está tomando medidas para introduzir a esse tipo de educação nas escolas, seguindo as diretrizes do “Documento de Orientações para Educação Financeira nas Escolas” presente no Plano Diretor da Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF) de 2010.

Isso representa um primeiro passo crucial para alterar a perspectiva sobre a importância da educação financeira para as crianças no Brasil.

Educação financeira infantil

Pode ajudar as crianças a compreenderem que agir de forma impulsiva e consumista pode ser prejudicial para suas finanças, levando ao endividamento e à ausência de economias e investimentos.

Ao introduzir conceitos de educação financeira nas escolas, espera-se que essas crianças, mais bem informadas, tomem decisões financeiras mais acertadas que não apenas impactarão seus futuros, mas também influenciarão a economia do país como um todo.

Isso ocorre porque a educação financeira não só ensina como administrar o dinheiro, mas também promove novas abordagens para ganhá-lo, como o empreendedorismo.

Como ter uma boa educação financeira?

Infelizmente, não costumamos aprender sobre educação financeira quando criança e nem na adolescência.

É por isso que muitas pessoas acreditam que é tarde para mudar, ou que não é possível saber o que é educação financeira e como tê-la depois de certa idade.

Se você se identifica com essa situação, temos boas notícias: é completamente viável adquirir conhecimentos financeiros, independentemente da sua idade ou situação financeira de momento.

Então, como conquistar educação financeira para iniciante? Por onde começar?

  1. O primeiro passo já foi dado: você está demonstrando interesse no assunto ao ler este texto;
  2. O próximo passo é buscar informações confiáveis e tornar o aprendizado sobre finanças uma parte regular de sua vida;
  3. O terceiro passo é aplicar esses conhecimentos na prática, porque a verdadeira sabedoria financeira é obtida através da experiência.

Portanto, para facilitar o seu caminho em direção a uma educação sólida, conte com o apoio de livros e cursos que ampliarão seu entendimento e fornecerão orientações práticas para a vida cotidiana.

VEJA MAIS RELACIONADO:

Flávio Coelho

Meu nome é Flávio Coelho e ensino através do site Finanças Guiada tudo relacionado a negócios, cartão de crédito e finanças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *